Em nota enviada a imprensa nesta quinta-feira, 08/02, a Prefeitura de Itaverava informa que a cidade está em estado de emergência por causa da febre amarela e demonstra preocupação com a situação de visitantes durante o Carnaval.

O decreto foi assinado pelo prefeito José Flaviano. Por meio do decreto, o Executivo Municipal poderá adotar medidas administrativas para a contenção do surto, como aquisição de insumos e materiais e a contratação de serviços de pessoa de forma emergencial por tempo determinado.

Nota Itaverava

Publicado em Regional

Mais uma morte por febre amarela foi confirmada pela prefeitura de Barbacena, ontem, dia 1°. Dessa vez, a vítima foi um morador de 42 anos de Senhora de Oliveira Esta foi a terceira morte pela doença confirmada laboratorialmente na cidade – houve ainda de um residente na própria Barbacena e outro em Piranga. Um segundo paciente de Piranga faleceu no Hospital Madre Tereza, na Capital Mineira.

Além destes 3 casos, Belo Vale e jeceaba também confirmaram a morte de pacientes pela doenças esta semana. Eles estavam internados em Belo Horizonte no Hospital Eduardo Menezes.


Outro caso

Ainda ontem, dia 1º, à noite, a Secretaria Municipal de Saúde de Barbacena expediu comunicado informando sobre a morte de mais um paciente com suspeita de ter contraído a febre amarela. Trata-se do paciente J.LH.B., 58 anos, sexo masculino, residente no município de Caranaíba, internado no Hospital Regional em estado grave na quarta-feira (31). O material colhido será devidamente enviado para a FUNED, conforme normas técnicas estabelecidas pelo Ministério da Saúde e Secretaria de Estado da Saúde para confirmar ou não o diagnóstico da febre amarela. Com este caso, sabe para 6 os casos suspeitos de morte da doença a região.

Outros cinco casos de morte com suspeitas de febre amarela foram registrados, em Ouro Branco, Barbacena, Piranga e Itaverava. Os exames foram em enviados a Fundação Ezequiel Neves (Funed) para contra prova.


Piranga

A secretaria municipal de Piranga divulgou a existência de 15 casos suspeitos de febre amarela no Município. Deste total, 6 já foram confirmados e os outros 9 aguardam o resultado de exame de contra prova. Duas pessoas já morrerem em decorrência da doença. O Município é mais afetado na região devido a incidência da febre.


Internações

Barbacena é a cidade referência para casos mais graves na Macro Centro-Sul, que abrange 51 municípios. Estão internados no Hospital Regional, com suspeita (juntamente com os dois confirmados), segundo últimas informações coletadas na quarta-feira (31), 14 pacientes: Na soroterapia, um de Barbacena; na Sala Amarela, um de Cipotânea e um de Barbacena; na Sala Laranja, um de Desterro do Melo; na Sala Vermelha, um de Ouro Branco; e, na Clínica Médica, seis de Piranga, um de Itaverava, um de Santana dos Montes e um de Barbacena.

Um paciente de Conselheiro Lafaiete deu entrada no final da manhã desta quarta-feira, foi avaliado e encaminhado para a Sala Amarela. O paciente é originário de Itaverava. Portanto, no momento, são 15 internados no Hospital Regional.

Publicado em Regional

Atenção! Em virtude do aumento de mortes causadas pela febre amarela na região, a Prefeitura de Congonhas, por meio da Secretaria de Saúde, realiza neste sábado, 3 de fevereiro, mais um Dia D de Vacinação, de 8h às 17h. Se você ainda não se vacinou, procure a unidade de saúde mais próxima de sua casa.

Para se imunizar, basta levar o cartão de vacina e um documento de identificação. Quem ainda não o possui ou o perdeu deve procurar uma UBS para regularizar a situação. A única forma de impedir a contaminação pelo vírus é a vacina.

Idosos, gestantes e mulheres amamentando, que anteriormente não eram vacinados, estão sendo avaliados criteriosamente e recebendo a vacina, caso não apresentem contraindicações.

Novos macacos foram encontrados mortos após ser verificada a circulação do vírus da febre amarela em Congonhas.

As equipes de saúde da família estão rastreando as pessoas que ainda não foram vacinadas nas áreas rural e urbana do Município. A vacina está disponível em todas as unidades de saúde. Em 2017, o Dia D foi realizado em duas oportunidades.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Programa Nacional de Imunizações, somente uma dose integral da vacina contra a febre amarela que é disponibilizada em regiões endêmicas, como Minas Gerais, durante a vida é suficiente para proteção contra esta doença. Esta é a única forma de impedir a contaminação pelo vírus e o risco de morte por esta doença é enorme. Ela tem matado pessoas em menos de 24 horas.

Publicado em Ultimas de Congonhas

A recomendação para quem vai viajar no Carnaval e ainda não está imunizado contra a febre amarela é receber a vacina até 10 dias antes, para estar devidamente protegido. As pessoas devem se imunizar na unidade de saúde mais próxima de sua residência, de segunda a sexta-feira, de 7h às 16h, e no horário do trabalhador, que se estende até às 19h um dia por semana em cada uma delas. Idosos, gestantes e mulheres amamentando, que anteriormente não eram vacinados, estão sendo avaliados criteriosamente e recebendo a vacina, caso não apresentem contraindicações.

Por ser área endêmica (que é o local de circulação permanente do vírus) da febre amarela, Congonhas e todo o estado de Minas Gerais utiliza a dose integral da vacina, que tem validade para toda a vida, enquanto a fracionada vale somente por 8 anos.

Portanto quem irá se deslocar para Congonhas também deve se vacinar!


Um idoso morador da zona rural de Belo Vale, morreu na manhã desta terça-feira,30, com diagnóstico de febre amarela, de acordo com a Secretaria de Saúde do município. A vítima tinha mais de 80 anos e estava internado desde a última sexta-feira no Hospital Eduardo de Menezes, em Belo Horizonte.

A secretária de saúde de Belo Vale, Neuzy Maia, informou que os exames confirmando a doença foram realizados no sábado na capital mineira. “Ele saiu da cidade na sexta com um diagnóstico prévio. No sábado, ele fez outros exames no Eduardo de Menezes e ai foi confirmado,” disse a responsável por gerenciar a pasta na cidade. Ainda conforme Neuzy Maia, não é possível afirmar se o paciente estava vacinado contra a doença.

Uma reunião na tarde desta terça-feira vai alinhar as ações de combate à doença em Belo Vale, segundo a secretária.

Com a confirmação de mais uma morte nesta terça-feira, Minas Gerais já contabiliza ao menos 30 óbitos por febre amarela.

Fonte: Uai.

Publicado em Regional

Um homem de 41 anos morreu nesse domingo em Barbacena, Região Central de Minas Gerais, com suspeita de estar contaminado pelo vírus da febre amarela. Este é o quarto óbito registrado na cidade em 2018 que será investigado pela Fundação Ezequiel Dias (Funed).

De acordo com uma nota assinada pelo Secretário Municipal de Saúde, José Orleans da Costa, a vítima morava em Ouro Branco, mas estava internado em estado grave no Hospital Regional de Barbacena desde o último sábado.

A equipe médica constatou que o homem teve falência múltipla dos órgãos e febre hemorrágica. O material clínico foi colhido e enviado para a Fundação Ezequiel Dias, que vai confirmar ou não o diagnóstico de febre amarela.

Regional de Barbacena em situação emergência

Agora, com a morte desse domingo, Barbacena tem quatro óbitos em investigação por suspeita de febre amarela. A regional de saúde da cidade, inclusive, está no decreto de situação de emergência que foi assinado pelo governador de Minas Gerais, Fernando Pimentel, no dia 20 de janeiro e alterado no dia 25.

Ao todo, o estado já contabiliza, oficialmente, 25 mortes pela doença, 47 casos confirmados e 99 em investigação, de acordo com o informe epidemiológico da Secretaria de Estado e Saúde (SES/MG), divulgado na última terça-feira.

O número de óbitos, no entanto, já chega em 26. Na sexta-feira, a Secretaria de Saúde de Belo Horizonte confirmou a terceira morte na cidade por febre amarela e, essa atualização, deverá ser publicada no próximo boletim epidemiológico da SES, previsto para esta terça-feira.

Fonte: Estado de Minas

Publicado em Regional

O Governo Municipal, por meio da Secretaria de Saúde, informa que, a partir do dia 1º de fevereiro, ao entrar no Parque Ecológico da Cachoeira, os visitantes deverão apresentar o cartão de vacinação, acompanhado de documento de identificação, para comprovar que estão imunes à febre amarela. A exigência é que a pessoa tenha sido vacinada há, pelo menos, 10 dias, prazo mínimo para que a vacina inicie o processo de imunização. A medida, a exemplo da que foi adotada em Inhotim, respeita a Resolução Municipal N° 02 de 24 de janeiro de 2018, e tem o objetivo de prevenir a doença em Congonhas. Os funcionários que trabalham no local foram imunizados por uma equipe de enfermagem do Município.

Em dezembro de 2017, foi confirmada a circulação do vírus da febre amarela em Congonhas, resultado da análise de um macaco morto coletado no bairro Recanto das Andorinhas. O Município, assim, passou a ser classificado na Categoria 3 de risco epidemiológico para a doença. Até o momento, não foi notificado nenhum caso em humanos na cidade.


Vacinação

A Secretaria Municipal de Saúde tem reforçado a necessidade de vacinação de todos os moradores das áreas urbana e rural de Congonhas. A população deve procurar a unidade de saúde mais próxima de sua residência, de segunda a sexta-feira, das 7h às 16h, e no horário do trabalhador,que se estende até às 19h uma vez por semana em cada uma delas. Idosos, gestantes e mulheres que estejam amamentando, público que anteriormente não era vacinado, estão sendo avaliados criteriosamente e recebendo a vacina, caso não apresentem contra indicações.

Para se vacinar, basta levar o cartão de vacina e um documento de identificação. Quem ainda não o possui ou o perdeu, deve procurar uma unidade de saúde para regularizar a situação. A única forma de impedir a contaminação pelo vírus é a vacina.

Publicado em Ultimas de Congonhas

Após o Secretário de Saúde de Barbacena, José Orleans, confirmar nesta terça-feira (24) a internação da sexta pessoa com suspeita de febre amarela em hospitais da cidade, o prefeito Luís Álvaro decretou situação de emergência em saúde pública no município por causa do surto da doença e a iminência de surto de dengue.

O decreto nº 8.257 autoriza a adoção de medidas administrativas necessárias à contenção dos surtos, como aquisição de insumos e materiais e a contratação de serviços e pessoal de forma emergencial sem a necessidade de abertura de licitação pelo prazo de 180 dias.

Na decisão, o prefeito considerou os dados da febre amarela no município e região, como a notificação de “nove casos suspeitos de febre amarela em municípios da área de abrangência das Unidades Municipais de Saúde de Barbacena, colocando o Município ainda em estado de alerta sobre um possível surto de dengue”.

De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, dos nove casos suspeitos, cinco evoluíram para situação grave, havendo um caso de morte, que apresentam confirmação laboratorial da contaminação pelo vírus. Entre estes casos, trata-se de um morador da colônia Rodrigo Silva e os demais são de cidades que fazem parte da região de abrangência de Barbacena.

Dos nove casos, seis pacientes estão internados na cidade, outras duas pessoas estão internadas no Hospital Eduardo Menezes, em Belo Horizonte, e um idoso de 72 anos morreu com a suspeita da doença na cidade. Sete dos nove casos suspeitos são da cidade de Piranga um de Barbacena e um de Senhora de Oliveira.

Barbacena é a segunda cidade da Zona da Mata e Campo das Vertentes a decretar situação de emergência em saúde pública na região. Na terça-feira (23), o prefeito de Viçosa, Ângelo Chequer, também publicou decreto com conteúdo semelhante.


Dados do Estado

A Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) divulgou que 25 pessoas morreram no estado em decorrência da febre amarela entre dezembro de 2017 e esta terça-feira (23). Desde o último informe epidemiológico, divulgado no dia 17, foram dez novos óbitos confirmados. Na região da Zona da Mata, foram confirmadas as mortes de pacientes em Barra Longa, Goianá; Mar de Espanha, Porto Firme e Viçosa.

Ainda de acordo com o governo estadual, 22 pessoas têm a doença e estão internadas ou já receberam alta. 87 casos suspeitos aguardam os resultados dos exames e 12 mortes também são investigadas.


Liberação de verbas

Uma resolução publicada nesta terça-feira (23) no Diário Oficial de Minas Gerais determina a liberação de R$ 2,4 milhões para as cidades que tiveram casos confirmados de febre amarela ou aquelas em que macacos morreram em decorrência da doença.

O decreto cita as seguintes cidades com casos confirmados de febre amarela em macacos na Zona da Mata: Mar de Espanha, Santana do Deserto, Matias Barbosa, Simão Pereira, Juiz de Fora, Piau, Belmiro Braga, Além Paraíba, Santo Antônio do Aventureiro e no Campo das Vertentes, São João del Rei, Lagoa Dourada, Nazareno, Madre de Deus de Minas.

Fonte: G1

Publicado em Regional

Secretaria de Saúde de Barbacena divulgou, em coletiva de imprensa nesta terça-feira (23), que cinco pessoas estão internadas em dois hospitais com suspeita de febre amarela.

O secretário de Saúde, José Orleans, confirmou os casos e lembrou a importância da população procurar os postos de saúde para buscar a imunização. Ele revelou que no próximo sábado (27) será realizada uma intensificação do trabalho de vacinação e também de busca ativa na área rural.

“Além do trabalho intensificado de vacinação, também estaremos com equipes visitando os moradores da zona rural, tendo em vista que a grande maioria dos casos confirmados e suspeitos de febre amarela foi registrada em pessoas que vivem fora da área urbana”, explicou.

Entre os cinco pacientes internados em Barbacena, dois se encontram em estado grave, sendo que um deles é natural da cidade e outro do município vizinho de Piranga. Dos outros três pacientes, dois também são de Piranga e um de Senhora de Oliveira.


Casos suspeitos em Piranga

Além dos três pacientes internado em estado grave em Barbacena, outras duas pessoas estão internadas no Hospital Eduardo Menezes, em Belo Horizonte, e um idoso de 72 anos morreu com a suspeita da doença na cidade.

Fonte: G1

Publicado em Regional

A febre amarela avança em Minas Gerais, com crescimento no número de cidades atingidas, de mortes suspeitas e confirmadas e também de casos sob investigação. A cidade com o maior registro de óbitos é Nova Lima, na região metropolitana, que teve ontem o quarto caso constatado. Goianá, na Zona da Mata, também confirmou um óbito nesta segunda-feira (15), totalizando 12 no Estado – 11 confirmados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) e mais um informado pela Prefeitura de Barra Longa, também na Zona da Mata, mas ainda fora das estatísticas oficiais do Estado.

Belo Horizonte, que até então não aparecia na lista da SES, entrou no balanço com três ocorrências de internação e cura sob averiguação. Outras quatro pessoas teriam morrido no Hospital Eduardo de Menezes, na capital, com indícios da doença, sendo duas oriundas de Caeté, na região metropolitana, e duas de Mariana, na região Central. No total, o Estado tem 34 casos em investigação, sendo oito óbitos e 26 internados ou curados.

A morte registrada em Goianá segue o padrão dos outros casos do Estado: era um homem de 40 anos que não tinha tomado a vacina, de acordo com a Secretaria Municipal de Saúde da cidade.

“Ele tinha certa resistência em cuidar da saúde, morava no centro de Goianá, e toda a família tinha se imunizado”, relatou o secretário Municipal de Saúde, Lúcio Alvim.

Segundo ele, o paciente trabalhava com motosserra e fez serviços no fim do ano passado em uma área de mata, na zona rural de Goianá, na divisa com as cidades de São João Nepomuceno e Rio Novo, na Zona da Mata.

“Todos os trabalhadores do local tinham tomado vacina desde a campanha que fizemos no ano passado. Não tinha macaco morto lá nem caso suspeito”, completou Alvim.

A cobertura vacinal em Goianá é de mais de 80%, sendo que o recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é acima de 95%. O secretário acredita que o índice seja melhor considerando as pessoas que trabalham em Juiz de Fora e se vacinaram lá, mas ainda assim faz o alerta. “Infelizmente a população ainda não acordou. Estamos intensificando a vacinação, indo de casa em casa, mas tem muita gente que não aceita se imunizar”, afirmou.

Em Nova Lima, a morte foi de um homem de 47 anos, morador do bairro Santa Rita, que teria ido a São Paulo cerca de 15 dias antes de os primeiros sintomas da doença se manifestarem.

Mutirão

Em virtude dos novos casos da doença na região metropolitana, a Prefeitura de Belo Horizonte vai abrir os centros de saúde no próximo sábado, dia 20, para vacinação.

Caeté

A Prefeitura de Caeté informou que tem três casos em investigação, sendo um óbito – outra óbito teria ocorrido neste fim de semana no Hospital Eduardo de Menezes, ainda não confirmada. Três macacos mortos foram encontrados na semana passada e estão em análise.

Mariana

A cidade, que já tem dois óbitos confirmados, tem mais dois pacientes sob investigação. Um macaco encontrado tinha a doença.

Fonte: O Tempo

Publicado em Regional

Página 1 de 4

Banner Direita Interna 11
Banner Direita Interna 12
Banner Direita Interna 13
Banner Direita Interna 21
Banner Direita Interna 22
Banner Direita Interna 23

Indicador Congonhas

O Indicador Congonhas é um portal criado pela jornalista Maria Clara Evangelista com o intuito de informar os internautas, principalmente os que moram em Congonhas e nas cidades vizinhas. Aqui você encontra notícias, atualizações sobre o trânsito e a BR 040, colunas, agenda de eventos, catálogo online, fotos e muitos mais. Faça um tour pelo nosso site e conheça o mais completo portal de informações de Congonhas!

Newsletter Indicador

Assinando o serviço de newsletter você não perderá as principais notícias do Indicador Congonhas, elas serão enviadas diretamente para seu e-mail! Para isso basta cadastrar seu e-mail no campo abaixo. O serviço é grátis!

Indicador Congonhas Instagram